voltar ao topo

iCaetité

últimas notícias:

Caetité: homem vende carro e cai no golpe do depósito bancário falso

Festa de Sant’Ana 2017: um festival de fé, cultura e alegria em Caetité

Jovem é preso suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas em Caetité

Mais de 100 carros de boi participam de desfile em Caetité

Jovem é preso por tráfico de drogas em Bom Jesus da Lapa

Feira de Santana: Apostadores ateiam fogo em carros após suspeita de fraude em bingo

Carinhanha: casa foi tomada pelas chamas; proprietário suspeita que incêndio tenha sido criminoso

Riacho de Santana: Moto roubada é recuperada pela Polícia Militar

Jovem comete suicídio na zona rural de Carinhanha

Riacho de Santana: Homem morre em grave acidente na BR-430

FHC nega ‘acordão’ contra Lava Jato e defende diálogo “às claras” sobre crise

Campanha de vacinação contra gripe começa nesta segunda-feira

Bahia: 15 casos suspeitos de febre amarela são notificados em oito municípios

Prefeitura de Guanambi renova convênio de concessão do terminal rodoviário

Brumadense preso em Guanambi é alvejado por policiais ao tentar fugir da custódia

Caetité: Álvaro Montenegro é homenageado em Salvador com 'Medalha Tiradentes'

Bom Jesus da Lapa: Dupla atira e mata adolescente confundido com criminoso

Temer negociou propina de US$ 40 milhões para PMDB, diz delator

Homem comete suicídio por enforcamento na zona rural de Matina

Vacinação contra a gripe Influenza começa na próxima segunda-feira (17), em Guanambi

Ibotirama: esquema com falsos pescadores desviou R$ 24 milhões de reais do seguro defeso

Domingo / 31 Ago 2014 / 00h35

Diversos políticos do município de Ibotirama, no oeste da Bahia, são suspeitos de participarem de um esquema fraudulento para registro de pescadores, que teriam direito ao recebimento do seguro defeso. O suposto golpe teria rendido R$ 24 milhões de reais nos últimos dois anos. O Vereador Felisberto Gomes dos Santos (PMDB) foi apontado como líder do esquema, que teria beneficiado, além de falsos pescadores, um candidato a vereador em 2012, conhecido por Dimas do Juá. As primeiras investigações apontam que somente 1/3 das 3.222 pessoas registradas, são realmente pescadores.