voltar ao topo

iCaetité

últimas notícias:

Caetité: homem vende carro e cai no golpe do depósito bancário falso

Festa de Sant’Ana 2017: um festival de fé, cultura e alegria em Caetité

Jovem é preso suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas em Caetité

Mais de 100 carros de boi participam de desfile em Caetité

Jovem é preso por tráfico de drogas em Bom Jesus da Lapa

Feira de Santana: Apostadores ateiam fogo em carros após suspeita de fraude em bingo

Carinhanha: casa foi tomada pelas chamas; proprietário suspeita que incêndio tenha sido criminoso

Riacho de Santana: Moto roubada é recuperada pela Polícia Militar

Jovem comete suicídio na zona rural de Carinhanha

Riacho de Santana: Homem morre em grave acidente na BR-430

FHC nega ‘acordão’ contra Lava Jato e defende diálogo “às claras” sobre crise

Campanha de vacinação contra gripe começa nesta segunda-feira

Bahia: 15 casos suspeitos de febre amarela são notificados em oito municípios

Prefeitura de Guanambi renova convênio de concessão do terminal rodoviário

Brumadense preso em Guanambi é alvejado por policiais ao tentar fugir da custódia

Caetité: Álvaro Montenegro é homenageado em Salvador com 'Medalha Tiradentes'

Bom Jesus da Lapa: Dupla atira e mata adolescente confundido com criminoso

Temer negociou propina de US$ 40 milhões para PMDB, diz delator

Homem comete suicídio por enforcamento na zona rural de Matina

Vacinação contra a gripe Influenza começa na próxima segunda-feira (17), em Guanambi

Caetité: Cerca da discórdia na Avenida Dácio Oliveira vira caso de polícia

Sábado / 31 Mai 2014 / 11h44

O crescimento territorial de uma cidade muitas vezes traz consigo litígios que acabam se tornando em intensas discussões entre as partes. Segundo informações colhidas pelo Sudoeste Bahia, em Caetité uma situação desse gênero está ocorrendo bem no centro da cidade, na Avenida Dácio Oliveira, onde uma cerca que foi construída numa propriedade se tornou em objeto de discórdia e, consequentemente em caso de polícia. Segundo a ocorrência uma família estaria proferindo ameaças de morte contra trabalhadores que estavam construindo a referida cerca, os quais deixaram de fazer a obra com medo das ameaças. As reclamações são de que estaria havendo uma invasão de terreno, o que somente deverá ser resolvido com a intervenção da Justiça. Enquanto isso não ocorre, a área de conflito continua tensa e as ameaças ainda existem, segundo os queixosos.