voltar ao topo

iCaetité

últimas notícias:

Caetité: homem vende carro e cai no golpe do depósito bancário falso

Festa de Sant’Ana 2017: um festival de fé, cultura e alegria em Caetité

Jovem é preso suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas em Caetité

Mais de 100 carros de boi participam de desfile em Caetité

Jovem é preso por tráfico de drogas em Bom Jesus da Lapa

Feira de Santana: Apostadores ateiam fogo em carros após suspeita de fraude em bingo

Carinhanha: casa foi tomada pelas chamas; proprietário suspeita que incêndio tenha sido criminoso

Riacho de Santana: Moto roubada é recuperada pela Polícia Militar

Jovem comete suicídio na zona rural de Carinhanha

Riacho de Santana: Homem morre em grave acidente na BR-430

FHC nega ‘acordão’ contra Lava Jato e defende diálogo “às claras” sobre crise

Campanha de vacinação contra gripe começa nesta segunda-feira

Bahia: 15 casos suspeitos de febre amarela são notificados em oito municípios

Prefeitura de Guanambi renova convênio de concessão do terminal rodoviário

Brumadense preso em Guanambi é alvejado por policiais ao tentar fugir da custódia

Caetité: Álvaro Montenegro é homenageado em Salvador com 'Medalha Tiradentes'

Bom Jesus da Lapa: Dupla atira e mata adolescente confundido com criminoso

Temer negociou propina de US$ 40 milhões para PMDB, diz delator

Homem comete suicídio por enforcamento na zona rural de Matina

Vacinação contra a gripe Influenza começa na próxima segunda-feira (17), em Guanambi

Sem medo, Geddel diz a Rui Costa que Wagner o enfiou goela abaixo

Sexta / 31 Jan 2014 / 00h00

Políticos por vezes não perdem oportunidades de dizerem verdades – ou não – uns aos outros nas mais diversas ocasiões e, na segunda noite do Festival de Verão de Salvador o pré-candidato ao governo pelo PMDB, Geddel Vieira Lima, usou sua oportunidade. Ao encontrar com o adversário Rui Costa no camarote, disse a ele o que pensava sobre o PT. Entre sorrisos.

Geddel revelou que disse de frente para Costa que o governador Jaques Wagner “enfiou goela abaixo” o amigo como candidato e forçou a base a aceitar a indicação do secretário da Casa Civil para o pleito de outubro. “Com a gente [PMDB] é um pouco diferente. Eles têm o chefe, que empurrou o nome goela abaixo. Parece ditadura. Aqui, temos que construir”.

O peemedebista revelou também que a oposição se reunirá nesta sexta-feira (31), mas fez questão de frisar que não há nenhuma intenção de transformar o encontro na consagrada “última reunião” que elegerá enfim o nome do bloco para as eleições. “Temos um coordenador que está observando. Então vamos esperar”, afirmou. Aproveitou também para reforçar que não existe um “plano B” e que o ex-deputado não comenta especulações no que diz respeito a não ficar com a vaga de candidato a governador.

Se liga Bocão